Páginas

Seguidores

22 de maio de 2011

ESMALTES PODEM CAUSAR CÂNCER. Atenção!!!!

Oi meninas!!
Estava lendo as notícias na net, quando me deparei com uma reportagem sobre os esmaltes.
Jamais imaginaria que, aqueles vidrinhos tão pequenos, poderiam causar câncer.




Esse alerta não foi muito divulgado, deve ser por causa das grandes empresas de cosméticos.
Mas, como aqui é um blog de informações, não poderia de deixar de repassar essa matéria.
Peço que leiam e repassem.
Um ótimo Domingo pra todas.
Bjsss.


Matéria de Lígia Menezes
Conteúdo do site MdeMulher


A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, PROTESTE, divulgou na última semana uma pesquisa um tanto alarmante: ao analisar 12 esmaltes das três marcas mais vendidas no país (Colorama, Risqué e Impala), detectou que sete deles contêm substâncias nocivas à saúde. Uma, inclusive, é proibida na Europa.
No Brasil, porém, a história é outra: a legislação sequer cita esses componentes e na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) não há regulamentação sobre eles. "Os fabricantes estão de acordo com a lei, mas como existem testes na Europa sobre o risco desses produtos, resolvemos analisar e solicitar à Anvisa que revise essa legislação", explica Carlos Comfort, técnico da PROTESTE, de São Paulo.
Mas que componentes são esses?
Entre os componentes nocivos à saúde, considerados cancerígenos na Europa, estão o nitrotoluene, o tolueno e o furfural. Além deles, há o dibutylftalato, que tem seu uso proibido em cosméticos do continente europeu.
Eles fazem mal mesmo?
A pesquisa da PROTESTE não apresenta casos reais de pessoas que foram prejudicadas por esses componentes. Mas Carlos avisa que o uso contínuo pode, sim, causar reações. "Nessa concentração, os produtos não são cancerígenos, mas se usar toda semana, em longo prazo, a pessoa pode ter reações, como desenvolver alergias, irritações ou coisas mais sérias".
"Conforme o tipo de contato, as reações a essas substâncias mudam: no caso de inalação, por exemplo, pode irritar o nariz, olhos e aparelhos respiratórios. Em contato com a pele, pode causar dermatites e irritações", conta a dermatologista Sara Bragança, do Rio de Janeiro, membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética.
Como foi o teste?
A PROTESTE avaliou 12 esmaltes de tonalidades claras e transparentes, que são preferência das mulheres e definiu os resultados (de muito bom a ruim) de acordo com a qualidade da informação e da exposição de informações no rótulo, da fixação do esmalte após quatro dias, do tempo de secagem, cremosidade, homogeneidade e brilho do esmalte, e da composição.
O resultado alarmante vem da composição!
O que alarmou os especialistas da PROTESTE foi a composição dos esmaltes. No que diz respeito a ela, no estudo, foram aprovados apenas os esmaltes da Colorama e os hipoalergênicos da Risqué. Já a bronca da Associação foi para:
· As tonalidades Blanco Puríssimo, Paris e Renda, da Risqué, por terem nitrotoluene, e tolueno em quantidades próximas, ou no limite permitido pela Comissão Europeia. Segundo a Risqué, porém, não há perigo em seus produtos: "Todos os itens da linha têm registros de produtos válidos na Anvisa e cumprem todas as determinações das legislações brasileiras. A Proteste utiliza a legislação europeia para fazer análise dos produtos e não a brasileira, e nem a americana, que é similar a nossa", divulgou a marca em nota oficial.
· As tonalidades Branco, Branco Hipoalergênico, Cigana e Top Blanc, da Impala. A justificativa da Associação é que a marca coloca dibutilftalato na fórmula, inclusive nas versões hipoalergênicas. Segundo o laboratório da Impala, porém, "todos os itens da linha hipoalergênica possuem testes clínicos de sensibilização cutânea e fotoalergia e seguem estritamente a regulamentação da Anvisa". Já para o uso de bibutilftalato, a Impala informa que o componente "tem seu uso permitido em esmaltes no Mercosul".
E agora?
A PROTESTE enviou a pesquisa à Anvisa e aguarda análise do órgão sobre possível mudança na regulamentação brasileira de cosméticos. "É importante lembrar, porém, que ainda não está muito claro qual a concentração e quanto tempo de contato deve haver para que ocorra o risco de câncer. De qualquer maneira, é melhor procurar esmaltes que não contenham essas substâncias e deixar as unhas descansarem por períodos sem esmaltes ou bases", conclui a dermatologista Sara Braganca. Para não errar, olhe sempre no rótulo das embalagens!

5 Falaram comigo!:

Andrea Guim disse...

Oi, Viviane!
Vim te convidar pro SORTEIO de maio do BLOGARTE, em parceria com a MerciDesigns. Bora lá participar!!
Beijins,
Andrea Guim

Adriana Alvarez disse...

Olá, já tinha lido algo parecido sobre os batons, mas dos esmaltes...é muito bom ter a informação e ficarmos ligadas, cuidado nunca é demais!

Um grande beijo

www.emporiocasadachiquinha.blogspot.com

Mateus Monteiro. disse...

Haha, tô seguindo agora!
Vou ser o metido, rs.
beijos beijos.

Regiane disse...

Olá Viviane

Obrigada por dividir um assunto tão importante!

Hoje estou mostrando um mais pouquinho da decoração da festa da minha filha.
uma ótima semana para você!
Beijos
Regiane

Cantinho das Artes disse...

Oi Vivi!
obrigado por dividir essa informação,vou ficar atenta aos esmaltes que eu comprar.

Bjinhos